Wednesday, 24 August 2011

Trilha na costa de Yorkshire



Outro dia estava um Sol lindo combinado a uma temperatura de gente (uns 19/ 20 graus) então resolvemos aproveitar pra conhecer a costa de Yorkshire. Quem mora aqui pro Norte da Inglaterra jura que é a mais bonita do país, mas eu ainda não conheço lugares o suficiente pra julgar. De qualquer forma, Brempton Cliffs, onde fomos fazer trilha, é super bonito.




Brempton Cliffs é uma reserva natural onde as pessoas aproveitam pra fazer caminhadas, pedalar, aproveitar o dia ao ar livre. A trilha costeia os Cliffs e tem vários mirantes ao longo do caminho para que o visitante possa observar os milhares de pássaros que migram pra região durante os meses de Março a Agosto.



A melhor maneira de chegar até Bempton Cliffs é de carro, uma vez que a estação de trem mais perto, Brempton Rail Station, fica a 2.4 km da reserva. Outra opção é pegar um ônibus até a Brempton Village e andar o resto. Da vila até os cliffs são 1.5km.

A entrada é gratuita, mas a diária do estacionamento custa £3,50.

Mais informações aqui!


obs: durante o verão, o lugar é invadido por joaninhas. Pode parecer lindo e bucólico, mas quando são centenas delas voando encima de você passa a não ser muito divertido. Por isso, passe bastante repelente.



Thursday, 4 August 2011

Onde comer em NY - dicas do Humberto!

Desde o ano passado tenho viajado bastante a trabalho pra NY. Com tantos jantares da “firma”, saída com amigos e incontáveis happy hours, acabei acumulando uma lista de bons restaurantes pra indicar aqui no blog.

Apreciador de boa comida e cozinheiro por hobby, gosto de experimentar pratos diferentes e vou do sofisticado ao rústico sem discriminações! Por isso, se você tá procurando opções de restaurantes pra experimentar em Nova York, aqui vai minha lista:

Minetta Tavern


Cartão postal escaneado. 
Não especifica o crédito do fotógrafo. 
Caso alguém saiba, por favor, compartilhe nos comentários. 
Como define o site do restaurante, o Minetta Tavern é o resultado de “uma steakhouse parisiense com uma clássica taverna Nova Yorkina” e é onde eu comi o melhor (e mais caro) hamburguer da minha vida! 
Dividimos várias entradinhas entre a mesa: bone marrow assado, steak tartare, flor de abobrinha frita recheada com carne de carangueijo (um dos especiais do dia) e um terrine de ossobuco com foie gras. Eles têm duas variedades de hamburguer: o minetta burguer, com queijo cheddar e cebolas caramelizadas ($17) e o black label burguer - cartão de visita do lugar, que custa a bagatela de $28 (+ taxas). Na nossa mesa pedimos quatro black label burgers, afinal com a dificuldade que é conseguir uma mesa no Minetta (marque com antencedência!), você tem que escolher o top, certo? Tendo provado a entrada de bone marrow tenho quase certeza de que o hamburquer é feito na gordura de bone merrow ou leva um pouco dela na sua composição, o que faz dele algo diferente e especial em relação aos outros que já comi. É de lamber os dedos!

O Minetta Tavern fica no Greenwich Village, alí entre a Bleecker e a W. 3rd Street.
113 MACDOUGAL ST



NEW YORK, NY 10012
(212) 475-3850

Blue Ribbon Brasserie
Pra começar, eu e meus amigos dividimos um prato de frutos do mar que incluía ostras e camarões (King!) servidos crus e sobre o gelo e acompanhados de uma seleção boa de molhos. Pra ser sincero, não lembro quais ostras escolhemos, mas seguimos a sugestão do garçom e não nos arrependemos. Sugiro você a fazer a mesma coisa! Depois, comi uma das entradas mais gostosas que já provei: shortbreads (amígdalas!). Sim! O gosto lembra o de carne e a consistência é um pouco parecida com a de coração de galinha. Como prato principal, escolhi o new york strip, mal passado, claro. E, pra ser sincero, depois das entradas fantásticas, fiquei um pouco decepcionado com o prato principal. Meus amigos foram de frango grelhado na brasa, que estava muito melhor do que a minha opção! Mas, fazer o quê? A gente não pode ganhar sempre na vida.

97 SULLIVAN ST
NEW YORK, NY 10012
(212) 274-0404

The Spotted Pig Pub


Minha escolha foi, errrr, hamburguer.
O restaurante não reserva mesas. É entrar, pedir por uma e esperar mais ou menos uma hora. Enquanto isso, você pode aproveitar o bar no primeiro andar, que é um pouco cheio,  ou você pode ir tomar uma cerveja em outro lugar porque eles te ligam quando a mesa está pronta! A cozinha fica aberta até as 2 da manhã, o que faz o The Spotted Pig uma opção perfeita para aqueles jantares depois de programas como teatro, shows etc.


Para entrada, eu indico as torradas de foie gras. O melhor é dividir, se não você periga não aguentar o hamburguer depois. O que eu pedi aqui era o assado na brasa com molho roquefort. Melhor comer o hamburguer daqui antes de provar o do Minetta pra evitar uma decepção. Não que o hamburguer do The Spotted Pig seja ruim, pelo contrário, é ótimo, mas o do Minetta consegue ser ainda melhor...  Para sobremesa, errrrrr, nunca consegui chegar até ela. Então você vai ter que provar por sua própria conta e risco!

314 W 11TH ST
NEW YORK, NY 10014
(212) 620-0393

Locanda Verde

Esse é um restaurante italiano bem cool que um amigo indicou pra gente na nossa viagem à cidade em Janeiro de 2011. Antes de sentar, a gente tomou uns drinks no bar (gin e tônica pra mim e kir royal pra Bebel), seguidos de bruschettas. De prato principal dividimos a bisteca alla fiorentina, que estava cozida  à perfeição!  É caro, mas vale a pena! 

377 GREENWICH ST
NEW YORK, NY 10013
925-3797


Claro que essas são só algumas sugestões. Não incluí, por exemplo, os lugares mais recomendamos por aí como o Pastis, Balthazar, Eataly... Não porque não sejam bons, mas porque provavelmente se você está planejando uma viagem a NY alguém já te recomendou essas opções.









Tuesday, 19 July 2011

Humberto's Top 5 Burgers em NYC

1- The Black Label Burger @ Minetta Tavern
http://www.minettatavernny.com/

2- Chargrilled Burger com molho Roquefort @ The Spotted Pig
http://www.thespottedpig.com/

3- Cheeseburger @ Burger Joint
http://www.parkermeridien.com/eat4.php

4- Shack Stack Burger @ Shake Shack
http://www.shakeshack.com/

5- Cheeseburger @ FiveGuys
http://www.fiveguys.com/home.aspx

Enjoy!

Wednesday, 13 July 2011

Ale Trail em Yorkshire

Esse é o passeio perfeito pra quem adora cerveja e quer conhecer um pouco mais das cidadezinhas de Yorkshire, UK. Como o nome já sugere, não existe muito mistério: você pega um trem e vai parando em várias vilas do condado, visitando os melhores pubs e experimentando as melhores Ales produzidas na região (as Ales são aquelas cervejas produzidas a partir de cevada maltada usando uma fermentação alta. Geralmente têm sabor adocicado, encorpado e/ou frutado).





Não sei quem inventou e nem como surgiu o passeio, mas existe um site oficial, chamado Transpeninne Real Ale Trail,  que sugere 8 paradas em pubs que carregam fama de serem os melhores de Yorkshire no quesito Ale (Transpeninne é o nome da companhia de trem que você pega pra fazer a trilha. Não é um trem especial não, mas um normal que circula no condado). O esquema do site é bem legal: lá, você escolhe e seleciona quais das 8 paradas vai querer fazer e de onde pretende começar o passeio. Depois de submeter essas informações você recebe por e-mail todo o roteiro sugerindo que trem pegar e como chegar a cada um dos pubs.

Como fomos com gente que já conhecia bem o esquema e todos os pubs, acabamos só parando em alguns (segundo os ingleses amigos do Humberto, os melhores) e incluímos outros ao roteiro que, no fim das contas, ficou assim:

Saímos da estação de trem principal de Leeds e nossa primeira parada foi Huddersfield, mas só com o intuito de trocar de trem e seguir até Slaithwaite. Depois de Slaithwaite, fomos pra Marsden, depois voltamos até Huddersfield e terminamos a Ale Trail em Dewsbury.  O valor do ticket família do trem (2 pessoas) para o dia todo saiu por £9,50 - o que achamos bem barato.

Os pubs que fomos e nossas impressões:

Em Slaithwaite: a cidade é super bonitinha e vale a parada. O pub que visitamos aqui foi o The Commercial, que é o mesmo indicado no site da Ale Trail oficial. Como eram muitas paradas e eu queria aproveitar ao máximo as Ales sem cair de bêbada rápido, resolvi tomar meia pint em cada um dos pubs. Indico essa tática! O pub também serve comida pra quem quiser almoçar no lugar. A gente não almoçou, mas comemos uma pie de carne de porco que estava ok. Boa seleção de Ales, bastante lugar pra sentar incluindo espaço ao ar livre!


The Commercial em Slaithwaite

Em Marsden: Essa foi, com certeza, a melhor parada do dia! A vila é uma fofura e o pub, The Riverhead, fenomenal! Além de pub, eles são cervejaria e produzem suas próprias cervejas no local. Experimentamos algumas deliciosas! A golden era a melhor de todas! Outra vantagem é o fato do pub ficar em frente a um rio lindo, então você pode levar sua cerveja pra fora e ficar tomando à beira do rio. Marsden tem várias lojinhas de comida: padaria, sorveteria, fish & chips shop... O melhor lugar pra comer em toda a trilha!


Cervejaria e pub The Riverhead, em Marsden


 Pub à beira do rio


Vista linda! 

Huddersfield: ô cidadezinha feia! Pra quem é turista e quer ver coisa bonita, não indico não. Mas pra quem prefere boa cerveja a belo cenário, aí são outros 500... Em Huddersfield fomos a 3 pubs: Kings Head, que é o indicado pelo site, The Sportsman e The Grove. O primeiro, Kings Head, é horrível. Nem perca seu tempo... Além de charme zero porque fica dentro da estação de trem, ele tem cheiro de xixi. Já o The Sportsman e o The Grove são ótimos! Excelente seleção de Ales e boa atmosfera. Os dois têm espaço ao ar livre, embora pequenos e são pubs premiados e incluídos em guias de boas cervejas de UK.





The Grove pub


Jerked Meat na hora da fome! ( e só bêbado pra comer isso)

Dewsbury: a cidade também é uma graça e o pub era ótimo também! Confesso que aqui pra mim tudo já tinha mais ou menos o mesmo gosto e ninguém do grupo conseguia mais manter uma conversa com começo - meio - fim. Lembro que em Dewsbury comecei a sentir uma fome absurda e que comi uns 10 pacotinhos de crips!


West Riding pub


É importante eleger um líder pro passeio, alguém que fique ligado com os horários dos trens e saiba gerenciar quanto tempo o grupo deverá ficar em cada uma das paradas.  Ir com um plano ajuda muito, já que o nível alcoólico do programa dificulta o raciocínio claro (Ao todo foram 9 horas de Ale Trail - começamos as 13h e saímos do último pub as 22h e trá lá lá... direto para um restaurante indiano, encher o bucho de curry! rs).

Tuesday, 28 June 2011

Visite Liverpool! Porque a Inglaterra é mais do que Londres...


O Superlambanana, símbolo / mascote da cidade

Liverpool não é cosmopolita como Londres e não tem o charme e a pose de Cambridge ou Oxford, embora seja a cidade com o maior número de prédios históricos conservados no país. Geralmente atrai turistas Beatlemaníacos que querem conhecer de perto o The Cavern Club ou as ruas por onde os Fabfour cresceram e onde deram início à carreira.

Mas Liverpool tá crescendo muito e, a cada dia que passa, mais lugares cool estão aparecendo nas ruas do centro da cidade. Várias opções bacanas de restaurantes, pubs, lojas, hotéis. Por isso, se você planeja uma visita à terra da raínha e tem tempo sobrando, uma visita à cidade pode ser interessante. Mesmo que você não seja um Beatlemaníaco.

Aqui, algumas dicas de passeios, restaurantes, compras e opções de hospedagem na cidade e seus arredores. Enjoy!

Passeios em Liverpool






Albert Dock: Essa é uma área super cool da cidade e uma das mais turísticas também. O Albert Dock é parte da área portuária de Liverpool que foi revitalizada com o objetivo de se tornar centro de lazer. Lá você encontra várias opções de restaurantes e bares, lojas de souvenirs, e museus como o Tate Liverpool, o museu dos Beatles e o museu Marítimo de Merseyside. No Albert Dock também está o centro de informação ao turista e é local de saída do ônibus de turismo e do Yellow Duck.

Tate Liverpool: obviamente não é grande como o Tate Modern, mas acho que pra uma pequena galeria até que é bem legal. Volta e meia a Tate Liverpool tem exposições interessantes e bem montadinhas. Lembro que vi Klimt e Picasso por lá. Neste momento, tá rolando Magritte. Legal, né? O acervo permanente também é muito bom e conta com obras de Paul Klee, Monet, Manet, Andy Warhol, Miró, Mondrian, Munch e vários outros.

Serviço:
Albert Dock
Liverpool
L3 4BB
0151 702 7400
visiting.liverpool@tate.org.uk
17 Outubro – 23 Junho
Aberto de Terça a Domingo, 10.00–17.50
Fechado às Segundas-feiras (exceto às Segundas-feiras de feirado)
24 Junho – 16 Outubro
Aberto de Segunda a Domingo, 10.00–17.50
Fechado Sexta-feira Santa e 24–26 Dezembro

O preço varia de acordo com a exposição, mas geralmente fica em torno de 10 libras (ingresso adulto). Você tem a opção de comprar o ingresso online, no site da Tate Liverpool.








The Cavern Club: É um club onde bandas de rock de Liverpool e do mundo tocam diariamente. Foi aqui que os Beatles começaram a carreira e onde tocavam com muita frequência no início da década de 60. Outras bandas como o The Who e Queen também tocaram no lugar. O Cavern de hoje não é o original. Ele foi fechado em 1973 e não sobreviveu às obras do Merseyrail - a linha de trem e metro de Liverpool. Em 1984, um empreendedor da cidade comprou o empreendimento e o reconstruiu do outro lado da rua utilizando os tijolos do original e mantendo o design o mais fiel possível ao antigo The Cavern Club.

Pra quem gosta de Beatles, o melhor dia pra fazer uma visita é quinta-feira a noite, quando a banda Merseybeatles toca covers dos fab4 no lugar. Os caras são muito bons! Mas fique esperto e não vá na última quinta-feira do mês. Não sei o porquê, mas a banda não toca nesses dias.

Além dos Merseybeatles, a programação do The Cavern Club conta com bandas de blues, saraus estudantis, apresentações de bandas internacionais etc. Visite o site do lugar pra checar a agenda de shows! Vista-se o mais confortável possível e com roupas leves pra ir ao Cavern. O club não tem janelas e como tá sempre cheio, fica super quente!

Serviço: The Cavern Club
10 Mathew Street
Liverpool
L2 6RE
United Kingdom
http://www.cavernclub.org/index.php

O preço pra entrar no lugar é sempre uma bobeirinha, mas varia de acordo com a programação. Geralmente é algo tipo 2 ou 3 libras.

The Cavern Pub: Se você gosta de rock e estiver na cidade num sábado a noite, não pode deixar de ir ao Cavern Pub (fica na mesma rua do Cavern Club!) ver a The Amazing Kappa Band tocando ao vivo! Paul Kappa arrasa na guitarra! É imperdível!

Das 19h às 22h, grátis (inacreditável!!!)

The Beatles Story Museum: Esse também é o passeio perfeito para os fãs da banda. O museu conta a história pessoal e profissional dos seus quatro integrantes e ainda tem uma lojinha cheeeeia de coisas legais. Acho que vale a pena, mas não faça a visita com altas expectativas. Eu confesso que pelo preço do ingresso e pela importância histórica e turística da banda para a cidade eu esperava que o acervo e a montagem do museu fosse melhor... mas não chega a decepcionar.

Serviço:
Albert Dock
Britannia Vaults
Albert Dock
Liverpool
L3 4AD
Tel: +44 (0)151 709 1963
Abril até 31 Outubro: 9am até 7pm (último a entrar às 5pm)
1 Novembro até 31 Março: 10am até 6pm. (último a entrar às 5pm)
Entrada: Adulto: £12.95
Idosos, estudantes e desempregados: £9
Crianças: £7 (menores de 16 anos)
Menores de 5 anos: grátis
Pacote família 1 (2 adultos, 3 crianças) £38
Pacote família 2 (2 adultos, 2 crianças) £33
Pacote família 3 (2 adultos, 1 criança) £28.50
Pacote família 4 (1 adulto, 3 crianças) £26.50
Pacote família 5 (1 adulto, 2 crianças) £21.50

Yellow Duckmarine: Uma maneira diferente de fazer sightseeing. Nesse caso porque o meio de transporte é um ônibus / barco que combina um tour terrestre e marítimo. Em terra, o tour passa pelos principais pontos turísticos da cidade - catedrais, filarmônica, The Cavern Club, prédios históricos, museus, prefeitura. Pela água, ele visita todas as docas e segue pouco tempo pelo Rio Mersey, de onde se tem uma visão dos prédios centenários da cidade. Confesso que nunca fiz o tour, mas sempre que vejo o ônibus/barco amarelo transitando pela cidade, morro de vontade de subir!

O ponto de encontro para a saída do tour é no Albert Dock. Pra mais informações e tabelas de horário, clica aqui!


Strawberry Fields



Magical Mystery Tour: Não tem jeito. Quase 100% das pessoas que visitam Liverpool querem conhecer a famosa rua Penny Lane e o Strawberry Fields. Por isso, o Magical Mystery Tour é uma opção legal. Além de visitar esses lugares, o guia conta a história de cada um deles e a sua ligação com os Beatles. O tour também visita as casas onde moraram Paul, John, Ringo e Jorge durante a infância. O tour acaba no The Cavern Club.
obs: nada impede que você visite esses lugares sozinho, mas saiba que eles são afastados do centro da cidade!

Serviço: 
O ponto de partida é o Albert Dock.
Diariamente às 14h30m. De Abril a Outubro, tour adicional às 12h / 12h30m e 15h
Não existe tour nos dias 25/26 de Dezembro e 1 de Janeiro.
Para comprar reservar online e mais informações, clica aqui!
Preço: 15,95 libras.

Compras em Liverpool


Liverpool One: Esse é um shopping totalmente ao ar livre que conta com mais de 160 lojas espalhadas pelo centro da cidade. Alí estão as maiores e melhores grifes européias e também aquelas de fast fashion como H&M, TopShop e Primark. Ótimas opções de restaurantes por alí também...
http://www.liverpool-one.com/website/home.aspx

Metquarter: Shopping menor, mas beeem premium. Aqui você encontra Armani Exchange, M.A.C. Cosmetics, Links, Diesel, entre outras.
http://www.metquarter.com/

Onde comer em Liverpool


Não sei porquê, mas a maioria dos meus restaurantes prediletos em Liverpool são de cozinhas internacionais. Mas, como são realmente muito bons, resolvi sugerir assim mesmo. Todos ficam no centro da cidade e são fáceis de chegar a pé. Aconselho fazer reserva em todos eles.


The Quarter: Não existe nada em Liverpool que ofereça melhor equação custo X benefício. Esse restaurante é predominantemente italiano, com ótimas opções de pastas e pizzas no cardápio. Mas se você não é muito fã de massa, sem problemas! O menu do dia tem sempre ótimas opções de carnes, saladas e sopas. Além disso, as sobremesas são fantásticas e o preço, mais fantástico ainda. Os pratos raramente ultrapassam a marca de 8 libras! O ambiente também é super gostoso: aconchegante e despretensioso. Além do restaurante, o Quarter também tem um delicatessen super gostosa que fica ao lado do restaurante.

Serviço: 
Endereço: 7 Falkner Street, Liverpool, L8 7PU
Horário: Segunda a Sexta, 8h às 23h / Sábado 9h às 23h / Domingo 9h às 22h
http://www.thequarteruk.com/


Bistrô Jacques: Outro restaurante que oferece ótimo custo X benefício, mas desta vez com um menu de culinária francesa. Ótimas opções de carnes, excelente atendimento, vinhos gostosos e baratos e sobremesas deliciosas.

Serviço:
Endereço: 37-39 Hardman Street, L19AS
Tel: 0151 709 1998
http://www.bistrojacques.com/

Phillarmonic Pub: Esse pub é um dos mais tradicionais de Liverpool. Ele é lindo por dentro, cheio de vitrais e chão de mosaico. A única coisa que eu não curto muito é que ele tem aquele cheirinho característico das Ales bem fortes (as Ales são as cervejas estilo Guiness, bem encorpadas) misturado com um pouco de cheiro de mofo do carpete (rs). No verão, ele é um pouco quente... mas mesmo assim, vale a visita!

Serviço:
Endereço: 36 Hope Street, Liverpool, L1 9BX
Tel: 0151 707 283
Horário: Segunda a Quinta: 10:00 - 23:00
Sexta a Sábado: 10:00 - 00:00
Domingo: 10:00 - 23:00


Alma de Cuba: De todas as indicações, essa é com certeza a mais turística, mas com um porquê. Você alguma vez já tomou drinks ou jantou num altar de ingreja? Pois então. O Alma de Cuba é um restaurante / bar que fica dentro de uma igreja - mas claro que ela não conta mais com seus objetivos religiosos. O interessante é que as características da igreja por dentro foram mantidas, mas integradas a uma decoração moderna. O lugar não é barato, mas é interessante! Fique esperto: é proibido entrar no lugar de tênis e/ ou bermuda (experiência de quem já foi barrado na porta). Tente evitar também ir em grupos grandes. Geralmente eles barram grupos pra evitar problemas.

Serviço:
Endereço: St Peter's Church, Seel St, Liverpool, L1 4BH
Tel:  (0) 151 702 7394
http://www.alma-de-cuba.com/homepage/


The Ship & Mitre: Se você é cervejeiro, esse é o seu lugar. O The Ship & Mitre é um pub com infinitas marcas de cervejas e outras bebidas também, como whisky. É um lugar sempre lotado, mas perfeito pra um pré - night ou after night. Toda vez que saímos em Liverpool sempre acabamos por aqui... Todo mês o pub promove um festival de cerveja diferente. Dá uma olhada na agenda disponível no site deles.

Endereço: 133 Dale Street Liverpool L3 2JH
http://www.theshipandmitre.com/

The London Carriage Works: Esse é, de todas as minhas recomendações, a opção mais chique e cara. É mais pra quem quer se arrumar pra sair, impressionar o parceiro (a) ou procura uma atmosfera mais bacana pra um jantar. A comida é gostosa, mas nada sobrenatural. Aqui, com certeza você está pagamento pelo estilo, entende? Mas, vez ou outra, é válido, né?

Endereço: 40 Hope Street, Liverpool L1 9DA
Horário: Café da manhã: de Segunda a Sexta, 7.00am – 10.00am / Sábado e Domingo 8.00am – 11.00am
Almoço: Segunda a Domingo 12.00pm – 3.00pm
Chá da Tarde: Segunda a Domingo 3.00pm – 5.00pm
Jantar: menu preço fixo: Segunda a Sábado 5.00pm – 6.30pm / Domingo - 12pm - 9pm
A La Carte Menu: Segunda a Sábado 5.00pm – 10.00pm / Domingo 12pm - 9pm
Reservas online ou telefone: http://www.thelondoncarriageworks.co.uk/bookings/default.phuse


Hospedagem em Liverpool:


Hard Days Night: Esse é o hotel perfeito para Beatle lovers. Isso porque o hotel inteiro tem a banda como tema. Já no lobby você vê partituras de músicas penduradas no teto e paredes revestidas com fotos da banda. A faixada - um prédio super tradicional e atiquíssimo - foi reformada e hoje conta com estátuas de Paul, John, George e Ringo incorporadas a seu design. Todos os quartos são temáticos... Entendo que não seja pra todo mundo, até porque uma diária de um quarto duplo por aqui raramente sai por menos de 100 libras, mas fã sabe como é, né? Se marcar com antencedência, você consegue tarifas mais justas.

http://www.harddaysnighthotel.com/


The Hope Street Hotel: Esse hotel é suuuuper lindo! É o perfeito Hotel Boutique. Não posso fazer nenhum review mais aprofundado porque nunca me hospedei aqui, mas acho ele um charme! A localização é perfeita no meu ponto de vista: próxima do centro a ponto de conseguir caminhar até lá, mas afastada o suficiente do burburinho e dos bebuns que circulam a cidade a noite. Além disso, é perto dos melhores restaurantes da cidade! O único ponto negativo desse hotel é o valor da diária - bem salgadinha! Pelo site do hotel, ela fica em torno de 160 libras pro quarto duplo standard, mas pelo Booking.com, por exemplo, vi por 125 libras.

http://www.hopestreethotel.co.uk/

Bom, acho que é isso. Se alguém tiver outras dicas da cidade, compartilhe nos comentários! Boa viagem!




Tuesday, 14 June 2011

A Inglaterra é mais do que Londres… Conheça Cornwall!


Brasileiro quando viaja pra Inglaterra viaja pra Londres. Dificilmente explora outros lugares do país – seja por falta de conhecimento, de budget, ou de tempo pra viagem. A verdade é que eu, até vir morar aqui, também não conhecia nada da Inglaterra além de Londres...

Quando a gente começou a viajar mais pelo país é que começou a notar o quão rico em beleza natural ele é. Os campos (a maioria do território inglês é campo) são lindos, com vários castelos e muitas opções de passeios ao ar livre. A costa tem um charme muito diferente, que mesmo com tempo cinza, é demais!

E justamente porque a gente se encantou com a Inglaterra é que pensamos em fazer essa série: pra ver se encorajamos você a visitar mais cidades por aqui. Será?

O primeiro destino inglês a ser mostrado aqui é Cornwall, um dos meus preferidos na Inglaterra. Cornwall fica ao Sul, na costa Oeste do país. É um destino super popular entre os ingleses, principalmente durante o verão. O condado é cheio de vilas lindas, com praias incríveis e vários cafés com o melhor “cream tea” do mundo (o cream tea é aquele chá da tarde, com milhões de tortas, bolinhos, pãezinhos)!

Aliás, coisas que você não pode deixar de provar quando vier a Cornwall: o famoso Cornish Pasty (uma espécie de empanada, mas maior e com recheio de carne picadinha, batatas e cebola), o cream tea com scones fresquinhos, um take away de fish and chips (com peixe fresquinho) e o tradicional sorvete "caseiro". Eu me acabei e comi de tudo, como sempre!


( pausa para uma foto minha devorando um Cornish Pasty!)

Nossa estadia em Cornwall não foi longa, ficamos só três dias, mas aproveitamos tudo o que deu!

O que a gente fez e recomenda:

Visite Mousehole!

Mousehole é um vilarejo estilo “casa de boneca”. Alí todas as casas têm jardineira de florzinha na janela, porta colorida, cortina de voile bordada... A vila é mínima, mas cheia de ateliers de artistas plásticos, casas de chá e um pubs charmosos. Tem também duas lojinhas de artesanato + objetos de casa + jóias: de deixar nós, meninas, loucas. Amamos o lugar! Pra quem curte fotografia, é o cenário perfeito pra muitos cliques!




Visite St. Ives!

Esse vilarejo já é bem maior e mais desenvolvido que Mousehole, mas mesmo assim tem ainda muito charme! Nele você tem mais opções de restaurantes, sorveterias, pubs, lojas e galerias de arte. Em St.Ives tem até uma Tate Gallery (franquia da de Londres)! Além disso, é o lugar perfeito pra se hospedar, já que está no meio do caminho de todos os passeios legais de Cornwall. Guest houses e Bed and Breakfast's (B&B's) são opções mais baratas e bem interessantes para hospedagem. Se for com amigos, a boa é alugar um cottage (os cottages são aquelas casinhas de pedra fofissimas, tipicamente inglesas!).

O site Booking.com tem várias opções de B&B's e Guest Houses. Mas se você preferir alugar um cottage, dá uma pesquisada nesse site!



Land's End: Como o nome já sugere, esse é o ponto mais ao Sudoeste de UK. Sabe aquela pontinha, lá embaixo? O lugar é uma espécie de parque com playground para as crianças, cafés e pros adultos, trilha ao longo da costa. E que costa! O passeio vale pela vista! Muita gente faz trilha de bicicleta por lá. 

A entrada do lugar é grátis, mas o estacionamento é pago. A diária custa 4 libras.

Para mais informações, clique aqui!



St. Michaels Mount: Essa é uma ilha que foi muito importante para a história comercial, política e religiosa da Inglaterra. Há 2 mil anos, ela serviu de porto, depois foi residência de monges beneditinos franceses após a conquista normanda da Inglaterra e também foi cenário de várias batalhas, incluindo a primeira guerra civil inglesa. fica um castelo e uma igreja medieval lindos que são abertos para visitação. O castelo é residência de uma família tradicional inglesa até hoje.

O passeio é interessante e você pode optar por fazer uma visita guiada também.

Lembrando que existem duas maneiras de chegar até a ilha: durante a maré baixa você atravessa a pé, por uma passagem de pedra. Durante a maré alta, vai de barquinho (a passagem fica submersa!). O ticket do barco custa 1,50 libras (adulto) e 1 libra (criança). Quem não gosta de barco pode ficar tranquilo porque o trajeto é bem pequeno.

O ideal é reservar cerca de três a quatro horas para o passeio. E se der fome, a ilha tem um café, um restaurante e uma sorveteria!

Para mais informações, clique aqui!



Trebah Garden: Esse foi o passeio que a gente mais gostou! O Trebah Garden é um jardim sub-tropical gigante, cheio de plantas lindas e exóticas (tem até Rhubarb gigante) e que termina numa praia! No meio do jardim tem um lago enorme, com uma ponte igual a ponte do Jardim de Giverny, de Monet. Nem preciso dizer que corri pra tirar uma foto alí, né? Monet é meu pintor favorito... Humberto, que ama tirar fotos, endoidou e não parou de clicar um minuto. Acho que também é uma ótima opção pra quem está viajando com crianças. Vi várias correndo e brincando pelo jardim!

Para mais informações de preços, horários etc., clique aqui!



Glendurgan Garden: O que chamou a nossa atenção e nos levou a visitar esse jardim foi o fato dele ter um labirinto de verdade, daqueles de arbustos altos, como a gente vê em filme de época. Não precisa nem dizer que a gente A-MOU a bricadeira, né? O mais bacana do passeio é, sem dúvida, o labirinto. O jardim é ok, mas não chega aos pés do Trebah Garden.

Para mais informações, clique aqui!



E se você estiver procurando um lugar gostoso pra comer, não deixe de ir ao pub Smugglers Den. Além de decoração tipicamente inglesa, o atendimento é excelente – o que não costuma acontecer na Europa – e a comida melhor ainda! Aqui você acha vários pratos da culinária típica do país como o fish & chips, sausage & mash, fish pie e ainda um roast de cordeiro. O pub fica no campo, a 15 minutos de Newquay.

Pra mais informações sobre o pub, clique aqui!

Monday, 6 June 2011

Onde comer em Florença (e muito bem!)

Florença tem muitos lugares gostosos pra se comer, mas como é uma cidade muito turística, também tem muito restaurante porcaria, que serve refeição requentada em microondas. Por isso, é legal sempre ter dicas de quem já visitou ou conhece bem a cidade porque os restaurantes mais próximos do centro não costumam ser os melhores.

Amantes de boa comida, a gente odeia ter experiências ruins ou medíocres em restaurantes! Por isso, assim que decidimos ir a Florença, Humberto pediu dicas de onde comer pra uma amiga italiana que conhece muito bem a região. Chegando lá, fizemos o test drive na maioria dos restaurantes que ela indicou e amamos todos. Uns mais que outros, o que é normal, mas todos de um modo geral eram muito bons. No único dia em que não seguimos as dicas dela e resolvemos comer em outro lugar, que frustração! Comida horrível e vinho da casa intragável! E olha que o restaurante estava cheio e era bem bonitinho... Por isso, pra fugir de roubadas como essa, aqui vão as nossas dicas de onde comer em Florença:

Trattoria Marione: Esse foi o melhor restaurante em que comemos na Itália (contando que visitamos Roma, Veneza, Verona, Milao, Lago di Como, Siena, Radda in Chianti, Castellina in Chianti etc.). O lugar é bem simples, bem estilo cantina Italiana e, apesar de estar próximo ao centro de Florença, é um pouco escondido. Aqui, recomendo fortemente a Bistecca alla Fiorentina como prato principal. Imperdível! Para entrada, a simples mozzarella di bufula con pomodori já fez a gente feliz porque a qualidade do queijo era divinal! Brega, mas verdade! Não lembro o preço da conta extamente porque já faz um bom tempo que fomos, mas lembro que era um preço bem justo pra quantidade e, principalmente, qualidade da comida! O vinho da casa também era muito bom!

Via della Spada 27R - Florenca
Tel. (+39) 055 214756
Horário: Segunda a Domingo, das 12:00h as 17:30h / 19:00 as 23:00
Cartão de crédito: AmEx, Visa, Master, Diners

Pra mais informações, clica aqui!



Acqua al Due: Esse é um restaurante ótimo para ir jantar. O ambiente é cheio de charme e a decoração é linda. Cada famoso que visita o lugar deixa um prato com uma dedicatória que é pendurado nas paredes. A nossa mesa era bem ao lado do prato do Lou Reed. Cool, hã? A comida e o vinho da casa também são delicosos! Eu fiz a burrice de pedir uma degustação de massas como primeiro prato (porções pequenas, mas várias) e ainda o prato principal. Burrice porque foi muita comida e eu quase tive que voltar rolando pro hotel, mas em compensação, tava tudo de-li-ci-o-so! Como prato principal escolhi uma foccacia recheada com filet e molho de fungi (essa aí da foto!). Valeu cada garfada! 
O restaurante fica próximo ao centro!

Pra mais informações sobre horário e local, clica aqui!

La Greppia: O La Greppia é da mesma empresa que o Trattoria Marione e também é muito bom! Além de massas e carnes no cardápio, aqui você encontra várias opções de pizzas. Ele fica a beira do rio e, por isso, é uma ótima opção para um jantar romântico na varanda! (o restaurante só abre para almoço aos Domingos!)

Lungarno Ferrucci, 4/6/8
Tel. (+39) 055 6812341
Horário: Segunda a Sábado, das 19:00h as 02:00h, Domingos: 12:00h as 14:30h / 19:00h as 02:00h
Cartão de Crédito: AmEx, Visa, Master

La Loggia: Ok. Pra comer em Florença e na Itália como um todo, você não precisa desembolsar muita grana. Geralmente os melhores lugares são aqueles mais simples! Mas se você quiser um ambiente mais requintado, super vista, boa comida, e puder meter o pé na jaca, vá ao La Loggia. Aviso que vai pagar caro, mas vai ser bom! hehehehe. Ele fica em frente a Piazzalle Michelangelo - a melhor vista de Florença! Como é um clássico na cidade (fundado há 130 anos), aconselhamos fazer reserva.

Para mais informações sobre horário, contato e local, clica aqui!



E, por falar em Itália, pode parar em qualquer sorveteria e tomar o sorvete mais gostoso da sua vida! Meus sabores prediletos são Pistache, Avelã e Fior di Late. Huuuuuuuuuuuuummmmmmmmmm!


Wednesday, 1 June 2011

Passeando por Florença

Ano passado eu e Humberto fomos à Itália e passamos 2 dias em Florença. Foi bem corrido, principalmente porque fomos no verão, época do ano em que a Itália fica lo-ta-da! Com a cidade cheia, as filas das atrações turísticas fica enorme e consequentemente o seu tempo "líquido" de viagem diminui. Por isso, não conseguimos sair do roteiro básico de Florença (básico no sentido de mais conhecido, mas de jeito nenhum banal), mas achei que mesmo assim valia deixar aqui nossas impressões sobre o que vimos. Num próximo post vou dar dicas também de onde comer (e MUITO BEM) na cidade...

Passeios que valem a pena:

Galleria dell'Accademia: Verão na Itália pra mim nunca mais... Ou melhor, Agosto na Itália nunca mais. Tudo cheio, muita coisa fechada (porque os italianos tiram férias) e filas quiloméééétricas nos museus. Pra entrar na Galleria dell'Accademia demorei 2h30m, mas a vontade de ver o David de Michelangelo de perto foi maior e resisti bravamente! E olha, vale a pena, viu? A estátua de David é impressionante, linda, imponente, emocionante de ver de perto. O resto do museu tem muita arte sacra, que não é a minha preferida, mas acho que mesmo assim vale a pena a visita, pelo David. Até porque o ingresso não é caro se comparado com outros museus da Europa. O de adulto, inteiro, custa 6,50 euros. Caso você nao queira esperar horas na fila, aconselho ligar na Galleria e reservar o seu ingresso. Eles têm uma entrada separada para as pessoas que reservam com antecedência, até porque pra isso você paga uma taxa de 4 euros. Mas acho que vale mais a pena pagar a taxa do que perder 2h30m numa fila, né?
Pra mais informações sobre horário de funcionamento, endereço, preco, clica aqui!

Galleria degli Ufizzi: Esse é o museu mais famoso de Florença mas apesar disso eu, anta, não consegui visitar. Acredita? Me enrolei, fiz confusão com os horários do museu e o único dia que tinha livre era justamente o dia que o museu fechava. Quis me chutar quando percebi a burrada, mas enfim, vou ter que deixar pra próxima. De qualquer jeito, sabe porque eu queria tanto conhecer o museu? Entre outras coisas, porque é lá que está o famoso "O Nascimento de Vênus", de Boticelli - um quadro lindo que eu queria muito ter visto de perto. Fora muitas outras obras de Leonardo da Vinci ( A Anunciação está lá também), Raphael, Caravaggio, Michelangelo etc.
Pra ninguém morrer de susto como eu, clique aqui pra mais informações sobre o museu.

Palazzo Vecchio a noite

Palazzo Vecchio: Apesar de seu papel político ao longo dos anos, hoje o Palazzo Vecchio é, em sua maior parte, um museu. Vale a visita para checar os afrescos em paredes e tetos, as esculturas, as salas apresentadas com mobília original... Sem falar da super vista que se tem lá de cima. O palácio fica na praça principal de Florença, a Piazza della Signoria.
Clica aqui pra mais informações sobre o Palazzo Vecchio.

Basílica di Santa Maria del Fiori

Basílica di Santa Maria del Fiori (ou Duomo, como é mais conhecida) e o Museo dell'Opera de Duomo: O que mais me impressiona na Duomo são as cores do mármore da fachada e do seu interior. Verde água, rosa claro, uma coisa de tão linda! Dica: lembre que por se tratar de uma igreja, eles pedem para não visitá-la com os ombros de fora e nem usando chapéu. Eu levei um lenço grande para cobrir as costas. A visita e válida, mas o melhor é visitar o museu - onde fica uma das obras mais famosas do Renascimento, a Pieta, de Michelangelo. Vale lembrar que a visita à Basílica e free, mas pra subir no Duomo é cobrada entrada de 8 euros. O ticket do museu custa 6 euros.
Mais informações aqui.

Ponte Vecchio

Ponte Vecchio: Melhor do que passear pela Ponte Vecchio, é olhar a Ponte Vecchio à distância. Só assim você consegue ver os detalhes da arquitetura... Sem falar que a ponte em si é lotada de joalheria cara e um tanto brega, sem falar na quantidade gigantesca de turistas... Vai por mim, olha de longe que você vai gostar mais! hahahahaha



Vista Piazzale Michelangelo 

Assistir ao pôr do Sol no mirante Piazzale Michelangelo: nenhum pôr do Sol é mais bonito do que esse. A galera normalmente se reúne aqui no fim no dia pra ver o Sol caindo sobre Florença. E a vista? Perfeito lugar pra tirar aquela foto panorâmica clássica da cidade! Passeio romântico... No mirante você ainda acha um café e sorveteria.


Saturday, 21 May 2011

O lado B da Toscana

Quando a gente resolveu ir pra Toscana a gente decidiu que ia fugir um pouco do roteirão básico Florença, Pisa, Siena. Não porque não quiséssemos visitar essas cidades, pelo contrário, mas porque a gente queria experimentar alguma coisa próxima de um cenário de filme, sabe?


Pra viver a experiência, planejamos viajar de carro pra poder percorrer todos (ou quase todos!) os vilarejos e campos, sem depender de transporte público ou de estar próximo a um centro.

E já que era pra sair do eixo mais "urbano", escolhemos nos hospedar no vilarejo de Radda in Chianti, bem no centro da região que produz um dos vinhos mais famosos da Itália - o (pasmem!) Chianti. O vilarejo é bem pequenininho, bem no alto do morro, mas tem um centrinho que oferece tudo o que a gente precisa quando está viajando: restaurantes gostosos, lojinhas de artesanato local, farmácia, delicatessens, sorveterias e outras praticalidades. Além disso, Radda fica bem ao lado de outra vila, com ainda mais opções de restaurantes, feiras, adegas, chamada Castellina in Chianti. A impressão que tive é que essas duas cidades ainda não foram invadidas pela mesma quantidade de turistas que as outras e, dos que vi por lá, a maioria era italiana de outras partes do país.

 Centro de Castellina in Chianti

Nos hospedamos em um B&B bem rústico, mas charmosíssimo - o Locanda delle Fate. O B&B é bem pequeno - são só 3 quartos - mas é muito confortável e super limpo. Tem piscina, estacionamento pra hóspedes e uma vista de tirar o fôlego! O café da manhã é super gostoso, com pão fresquinho e preparado pela dona do lugar, Marina, de acordo com o gosto do freguês. Além de casar com o nosso objetivo de viver a experiência "roots" da Toscana, o B&B oferecia um custo X benefício bem melhor que os dos outros hotéis da região. A diária não chegou a ser barata porque fomos durante a alta temporada, mas era bem mais barata que as dos demais hotéis das redondezas. A gente pagou 90 euros a diária, num quarto triplo, incluindo o café da manhã.

B&B Locanda delle Fate

De todos os lugares que comemos por alí, um deles virou o preferido, o La Torre, em Castellina di Chianti. A comida é bem típica, deliciosa e o preço é super amigo. Além disso, o restaurante fica no coração da vila e aí você vê as senhoras italianas sentadas em banco de praça, jogando conversa fora e xeretando a vida dos vizinhos... Um encanto de lugar!

Radda e Castellina ainda são próximas de várias vinículas. Algumas delas oferecem tour guiado e ainda degustação do vinho produzido localmente. A vinícula que a gente visitou e recomenda foi a Castello d'Albola, em Radda in Chianti. O tour é de graca e a desgustação também, mas é de bom tom que se compre algum vinho ao final, o que realmente não é tarefa difícil porque são todos deliciosos. Nós saímos de lá com 4 garrafas... Além dessa, existem milhares de outras vinículas em Chianti. Se vinho é a sua praia, visite o centro de informações ao turista, em Castellina, e peça o mapa do roteiro do vinho.


A gente acabou visitando outras cidades próximas dali. Tomamos sorvete e café com amaretti em Siena e jantamos na vila de Monteriggioni. Recomendamos os dois lugares! Siena, como é um pouco maior, melhor ir com mais calma, com um tempinho pra passear. Monteriggioni aconselho ir para fazer uma refeição. Enquanto espera o prato você já vai ter tido tempo de conhecer toda a vila! rs. Por lá, todos os restaurantes tem caras lindíssimas, mas a gente acabou escolhendo o Il Pozzo porque já tinham recomendado pra gente. Realmente é muito gostoso, mas achei caro. Então, a nossa dica é procurar um melhor custo X benefício em Monteriggioni.

Aqui, links pros lugares que comentei no post: (o link do B&B vai pra página do Trip Advisor só porque não consegui achar o site).
Trattoria La Torre
B&B Locanda delle Fate
Il Pozzo

Saturday, 14 May 2011

O que fazer e onde comer em Madrid

(A foto aumenta, basta clicar!)

Na nossa última viagem fizemos uma passagem relâmpago por Madrid. Saímos de Barcelona numa quinta-feira a noite e pegamos o trem noturno até a capital. O trem noturno costuma ser bem mais barato do que o trem expresso - tipo metade do preço, mas não é tão confortável nem novo. Pra quem está com o budget apertado é uma boa solução porque além de economizar na passagem, dá pra economizar em uma diária de hotel também. Os tickets podem ser comprados na estação de trem ou no site da Renfe.
Chegamos lá na Sexta bem cedo, tipo 7h da manhã, e ficamos até Sábado a noite. Se eu soubesse que amaria tanto Madrid, teria programado pra ficar mais tempo. Acho que uns 4 dias é o tempo ideal.

Apesar do pouco tempo, fizemos passeios muito legais e comemos muito bem também. Por isso, seguem dicas do que a gente fez e aprovou:

Free City Tour: Existe uma empresa da qual eu e Humberto somos muito fãs. Ela se chama Sandeman's e faz vários tours em cidades da Europa e também em algumas do Middle East. A gente já fez tour com eles em Praga, Berlim, Munique, Londres, Madrid e a experiência é sempre muito boa. Funciona assim: Eles têm um tour "cartão de visita", que é sempre o free tour da cidade. Como o nome já diz, é free então você não tem obrigação de pagar à empresa, mas ao final do tour é de bom tom deixar uma gorjeta no valor que você ache justo pelo trabalho do guia. Bacana, né? Eu acho o máximo porque como eles ganham gorjeta, eles se esforçam ao máximo pra fazer do tour um passeio informativo, mas ao mesmo tempo divertido. Dura cerca de 3h, dependendo da cidade, e é a pé. Disponível em Inglês e Espanhol. Além do free tour eles têm em Madrid o tour de tapas e o pub crawl. Se você entende Espanhol, faça o tour com a guia Gabriela. Além de simpática, ela é madrileña e sabe tudo sobre a cidade!
Pra mais informações e ponto de encontro, clica aqui!

Museo Nacional del Prado: Esse dispensa apresentações... Dá pra passar tranquilamente um dia inteiro lá dentro. Tanta coisa bacana, bonita e histórica pra ver... É aqui que está o quadro As Meninas, de Velásquez - marco na história da arte e um quadro que, com certeza, todo mundo estudou na escola! É muito emocionante ver uma coisa tão antiga, tão importante, ali na sua frente e em perfeito estado. Além de Velásquez, o museu conta com um acervo cheio de obras de Goya, Rubens, El Greco, Raphael, Rembrandt, Caravaggio e vários outros. A entrada custa 8 euros, mas de Terça a Sábado entre 18h e 20h a entrada é gratuita! Acho muito civilizado isso! Aos Domingos, entre 17h e 20h a entrada também é gratuita.
Mais informações aqui!



Museo Reina Sofia: Esse museu nao ia faltar na nossa lista porque é lá que está o quadro favorito do Humberto, o Guernica. Acho que todo mundo tem aquele quadro que sonha ver de perto, que sempre achou lindo e do qual tem vários posters/reproduções, né? Mas não é só o Guernica que é maravilhoso por lá. A lista é longa... Lá estão os mestres do Surrealismo: Salvador Dali, Marx Ernest, Luis Buñuel e todos aqueles seus filmes que eu e meus colegas de faculdade vimos incansavelmente ao longo dos 4 anos de curso, Oscar Dominguez, além de muito Picasso, Miro, Goya e ainda Alberto Greco, tem Lygia Clark e a lista segue... Visite com tempo, sem pressa! A única coisa chata desse museu são os guardinhas. Tudo bem, até concordo que num lugar com tanto turista e tanta obra importante é necessário ser rígido, mas não tem necessidade de ser desagradável e mal educado gratuitamente.
Mais informações, clica aqui!


Parque del Buen Retiro: Ok. Eu sou maluca por parques. Amo. Mas esse, vou te dizer... Que coisa linda! Melhor: que coisa linda!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Porque esse merece todos os pontos de exclamação que alguém seja capaz de digitar. O parque parece uma floresta - com árvores super densas - tem um lago de tirar o fôlego, é cheio de galerias de arte, sendo uma delas dentro do maravilhoso Palácio de Cristal. Foi uma pena não ter tido tempo suficiente pra explorar o lugar melhor... Durante a nossa visita começou a chuver muito e a gente teve que ir embora...Mas se você vai passar por Madrid, não deixe de visitar esse parque. Ele fica do ladinho do Museu do Prado!
Não achei site do parque, mas vale acessar o Wikipedia pra mais informações.

Mas e as dicas gastronômicas? Pois não, vamos a elas:

Humberto pesquisou sobre pratos típicos de Madrid (obviamente!) e descobriu que o must era o tal do Cozido Madrileño. Fã de um cozido, ele me fez caminhar por meia Madrid até achar um restaurante que estivesse servindo o prato. Isso porque geralmente ele deve ser "encomendado" com dias de antecedência, porque tem que cozinhar por bastante tempo. Mas no fim achamos um restaurante que estava servindo o cozido. Ele é nossa primeira dica:


Taberna de La Daniela: aqui você encontra o tal do cozido madrileño, que na verdade é bem parecido com o nosso, mas em vez de muitos legumes, ele tem mais carnes. Humberto adorou! Esse dia não comi porque tava passando mal de tanta "chutação" de balde. Para a sobremesa, escolhi o Arroz con Leche (tipo o nosso arroz doce. Eu amo!). Não foi caro, mas se você quiser comer no bar, o preço é mais barato do que pedir na mesa.
O Taberna de La Daniela é uma rede e possui restaurantes em vários pontos da cidade. Não achei site, mas aqui tem um link pra um dos endereços. Clica aqui!


Museo del Jamón: Melhor custo benefício de Madrid! Ideal pra café da manhã, lanchinhos rápidos e almocinhos. O lugar oferece vários bocaditos de jamón (bocaditos são o nosso sanduíche), tapas, etc. O espaço é bem informal e geralmente é lotado! Existem vários pela cidade... E gente, como é barato! Eu e Humberto tomamos um café e comemos um sanduíche de jamón (ma-ra-vi-lho-so!) cada e a conta final foi 4 euros. Incrível, né? Parece que um dos pratos mais tradicionais de Madrid é o bocadito de gambas, ou seja, um sanduíche de camarões. Tem que provar... Eu confesso que não achei tanta graça. Vende aí no Museo del Jamón.
Mais informações, clica aqui!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...